sábado, 15 de março de 2008

O que é Cristianismo Libertário?





O libertário, consequentemente, considera que uma de suas primeiras tarefas é a de difundir a desmistificação e a de retirar a áurea de santidade do Estado entre seus felizes súditos. Sua tarefa é a de demonstrar repetidamente que não somente o imperador, mas também o Estado democrático está sem roupas, que todo governo é estabelecido por leis exploradoras sobre a população e que tais regras são o contrario que é requerido pela real necessidade. Ainda, luta para mostrar que a verdadeira existência do imposto e do Estado necessariamente estabelece uma divisão de classes entre os governantes exploradores e os governados explorados. Busca ainda demonstrar que a tarefa da “corte” dos intelectuais que sempre respaldaram o Estado existem para criar a mística idéia de que o Estado sempre existiu e induzir o publico para que o aceite bem como o seu Governo, e que estes intelectuais obtém em troca uma parte do poder e do lucro extraído pelos governantes e seus iludidos subordinados.


O Anarquismo cristão (também conhecido como cristianismo libertário) com base nos ensinamentos de Jesus defende que a única autoridade legítima é Deus e repudia qualquer autoridade secular, inclusive a Igreja enquanto instituição corrompida e denunciada no livro do Apocalipse. Alguns anarquistas cristãos se opõem ao uso da violência tanto para ataque como para defesa. Contudo, vertentes libertárias como a dos taboritas, sob o comando militar de Jan Zizka, baseadas em passagens como Evangelho de Mateus 10:34, Evangelho de Lucas 22:36, Eclesiastes 3:1-10, entre outras, não hesitaram em fazer uso da força enquanto instrumento de legítima defesa diante de bestas-feras destituídas de qualquer senso de humanidade.Os anarquistas cristãos se opõem a todo tipo de tirania local ou global, sugerem que há plena compatibilidade entre anarquismo e cristianismo, e argumentam que uma das razões pelas quais Jesus foi perseguido pelo governo romano, pelos líderes religiosos e pelo Sinédrio, foi porque foi visto como um anarquista, como uma ameaça ao status quo. Para eles, a liberdade é justificada espiritualmente através dos ensinamentos de Jesus, e que, na história, o desvio desses ensinamentos foi promovido principalmente por Constantino.Leon Tolstói, em seu livro O Reino de Deus está em vós, idealiza uma sociedade baseada na compaixão e em princípios não-violentos. A obra desse escritor russo influenciou Gandhi na luta pela independência da Índia. Tolstói acreditava que para a efetiva destruição do Estado bastava o não pagamento de impostos e a abstenção do serviço militar. Adin Ballou e Ammon Hennacy defenderam idéias semelhantes.Jacques Ellul embora recomendasse a atitude de Jesus de seguir "como ovelha para o matadouro" como ideal para o cristão, não deixou de colaborar com a resistência francesa contra a ocupação nazista promovida por Adolf Hitler.



Os ideais do anarquismo cristão estão presentes nestes movimentos


Anabatistas

Mennonitas

Amish

Quakers

Huteritas

Taboritas alguns dissidentes ingleses

Doukhbors

Movimento de Trabalhadores Católicos



Pensadores


Kierkegaard

Henry David Thoreau

Leon Tolstói Nikolai Berdayev

Ammon Hennacy

Jacques Ellul

Dorothy Day
Watchman Nee

4 comentários:

She Drink's disse...

cara muito bom o texto, posso divulgar no meu blog?

tide disse...

Legal seu texto.
Sou cristão libertário e é bom encontrar um irmão em Cristo que percebe a Mensagem de Deus de um modo diferente de tanta coisa esdrúxula encontrada por aí.
Deus abençoe e continue em sintonia com sua espiritualidade, não permitindo jamais que a causa do Reino o afaste do Próprio Rei e desse reino.

Pró FASP disse...

Companheiros
A FASP se pronuncia totalmente a favor desta iniciativa de vocês !

timóteo pinto disse...

Se Deus existisse, seria preciso aboli-lo", afinal, "se Deus existe, o homem é escravo; ora, o homem pode, deve ser livre, portanto, Deus não existe"